Fechar PFTV
Publicidade
Apesar do título, o São Paulo não está com toda essa bola

O SÃO PAULO TAMBÉM ERRA, por Milton Leite

O que mais se ouviu, leu e viu nos últimos foram elogios ao São Paulo. Organização, planejamento, centro de treinamentos, formação de jogadores, melhores profissionais, centro de recuperação... Não faltou nada. Parece a perfeição para clubes de futebol. E, ressalte-se, todos os elogios foram merecidos e o novo campeão brasileiro deve mesmo servir de exemplo para a maioria dos clubes brasileiros.

Mas diante da avalanche de adjetivos positivos dos últimos dias, fica a sensação de que o clube, seus dirigentes e profissionais não erram. Só que os "modernos e profissionais" diretores do São Paulo cometem seus deslizes, como bem lembrou meu companheiro de Sportv Jota Júnior em seu blog (link aí ao lado). Logo após a conquista do título, ironia e menosprezo aos demais clubes, sobretudo os rivais do estado, num misto de prepotência e arrogância. Jogar confete sobre a própria cabeça é sempre muito desagradável e, no caso, desnecessário, porque os próprios profissionais do clube e a mídia estão se encarregando de atirar toneladas de confetes sobre todos. Um pouco de humildade cairia bem.

A mesma diretoria que adora pressionar árbitros, ressalte-se. É voz corrente que o clube vetou Carlos Eugênio Simon - a comissão de arbitragens nega, mas o gaúcho não apitou mais jogos da equipe. E na véspera do clássico contra o Santos na Vila Belmiro, colocou em dúvida o trabalho de Paulo César de Oliveira, antes de a bola rolar. Uma tática covarde e cruel, por causa da pressão natural que os árbitros sofrem, ainda mais com tantas câmeras de TV vigiando tudo.

A imprensa de um modo geral não se cansa de dizer que o São Paulo é o grande revelador de talentos do futebol brasileiro. O centro de formação de Cotia, na Grande São Paulo, é realmente um local de excelência, com tratamento raro às categorias de base. Mas pegue o time titular do São Paulo: quanto jogadores revelados no clube estão lá? Nenhum. Até Rogério Ceni não foi propriamente formado nas divisões de base, já jogava em Mato Grosso, mas ok, pode-se considerá-lo cria da casa. Além dele, Edcarlos, que nem no banco tem ficado. Qual foi o último craque revelado pelo clube? Kaká. Já faz tempo. Apesar do tratamento que dá aos garotos, o São Paulo tem revelado menos que Internacional, Santos e Corinthians (apesar de toda a sua bagunça). Só para ficar em alguns exemplos.

E as contratações que, lendo o que sai nos jornais, parecem infalíveis, também apresentam erros como em todos outros clubes, mas sem ganhar a mesma dimensão dos co-irmãos: Michel, Roger (ex-Ponte Preta, hoje emprestado ao Palmeiras), Lúcio, Lima, Rodrigo Fabri... Mas não há dúvida que o clube mais acerta do que erra neste setor.

E nunca é demais lembrar que mesmo com toda a organização e planejamento, hoje tão decantados, o São Paulo ficou dez anos (95-2004) sem conseguir nenhum título expressivo, só algumas edições do Campeonato Paulista.

Postado por Milton Leite em 22/11/2006 => http://blogol.blig.ig.com.br/

publicado por Reimão
Comentários a "Apesar do título, o São Paulo não está com toda essa bola"
Anonymous Nico
Blz. Se for pensar assim, o Santos ficou quase 40 anos sem ganhar nenhum título expressivo (1963-2002), o corinthians ficou 80 anos (1910-1990) e por aí vai. Acho que tentar achar um defeito que não justifique essa tal "arrogância" de que tanto falam (na verdade, eu acho que está mais para confiança e certeza de estar fazendo um ótimo trabalho) é pura inveja do planejamento e profissionalismo que o São Paulo exerce há muito tempo e que os outros clubes brasileiros não chegam nem perto de realizar.
23 de novembro de 2006 às 20:59  
Anonymous Anónimo
Milton, se há um clube que preza as categorias de base nesse país é o São Paulo. A grande explicação para a falta de revelações é que, por esses anos, os clubes citados: Santos e Corinthians, tiveram bastantes percalços de cunho político/futebolístico. O Corinthians ganhou seus últimos campeonatos mais importantes sem grandes revelações próprias (Vampeta, Marcelinho, Ricardinho, Luizão, Tevez, Mascherano etc...).Entretanto, situação atual, precisa de revelações pois tem cada vez mais um quadro de bagunça estrutural e financeira, assim como o Santos de 2002-2004, que foi forçado a lançar mão de revelações pois estava quebrado finaceiramente e recompondo-se politicamente. Portanto, se a diretoria do São Paulo se demonstra feliz e confiante, é porque o clube é um exemplo de organização geral e seus jogadores estão felizes por estarem lá. As categorias de base continuam lá, sempre dispostas a suprirem o time de cima, mas são menos úteis para o tricolor do que para outros times menos organizados. Infelizmente, só usam as categorias de base os times que não têm cacife para contratar. Esse é o retrato dos clubes em geral no Brasil com raras exceções.

Luciano Novo.
24 de novembro de 2006 às 13:22  
Anonymous Anónimo
Só mais uma coisa, o Santos hoje é um time organizado e está quase no nível do São Paulo nesse quesito. Por isso pergunto: Quais são as revelações próprias do Santos nesse campeonato? Isso expica o meu argumento.

Luciano Novo....de novo.
24 de novembro de 2006 às 13:25  
Anonymous Rafael
Calma Reimão, vocês ainda vão ser tri campeões do mundo... Quando o São Paulo for Hepta!
Depois de uma conquista incontestável como essa você ainda qier falar besteira...

"Apesar do título"...
Mano, o Santos só ganhou o Paulista por um deslize do SPFC. E se dêem por satisfeitos. Foi demais pra um time que não faz mais do que um gol por jogo.

"10 anos sem ganhar títulos expressivos".
Como o nico disse, se for pensar assim vcs ficaram 40 anos.

Patética essa atitude inconformada e essa dor de cotovelo quando o São Paulo ficou 25 (?) rodadas na liderança e desbancou seus adversários diretos na briga pela ponta.

Salve o Tricolor Paulista!
24 de novembro de 2006 às 14:30  
Ultimas entradas
Posts Históricos
Visitantes
Pesquisar
PF10 TV

Publicidade


Click Here

Arquivos
Grupo Galáxia