Fechar PFTV
Publicidade
Pedro Henriques errou grosseiramente e defende o indefensável
Benfica-Nacional, um jogo no qual os encarnados poderiam ter aumentado a vantagem para os seus rivais mais directos, Porto e Leixões, para 4 pontos, acabou por significar novo empate caseiro. Recorde-se que o Benfica na Luz só não havia vencido ainda o FC Porto e o Vitória de Setúbal, mais recentemente, jogo no qual o árbitro decidiu dar a lei da vantagem à turma encarnada e quando o lance perigoso estava na iminência de dar golo (o que acabou por acontecer, mas já depois do apito do juíz da partida) foi interrompido para dar lugar à marcação da falta anterior, lance que seria o 3-1 para o Benfica. Nesse jogo, o frango de Quim, também acabou por ajudar a estragar mais as contas ao clube da Luz que se viu assim privado de dois pontos importantes na luta pelo título.

Desta feita, contra o Nacional, e apesar de não ter jogado nada bem, a equipa comandada por Quique Flores acabou mesmo por chegar ao golo, já no período de descontos. Lance confuso na área, no qual Yebda após cabeceamento vê a bola embater na mão de um defesa do Nacional- lance que teria de ser sancionado com a respectiva grande penalidade, mas que o árbitro não apitou. No seguimento desse mesmo lance, um defesa do Nacional chuta a bola contra a mão de Miguel Vítor que se encontra deitado...e de costas para o jogador em questão, não tendo qualquer possibilidade de se desviar da bola, quanto mais de ver que a bola estaria a caminho da sua mão. Na sequência deste ressalto, Oscar Cardozo atirou uma "bomba" para dentro da baliza. Golo limpo que teria dado, novamente, mais dois pontos ao Benfica, fazendo com que a par do jogo com o Setúbal, com o lance da lei da vantagem, os encarnados pudessem ter acabado o ano com 6 pontos de vantagem, sobre Leixões e Porto.

Confesso que já todos vimos lances polémicos e mal ajuizados, mas este foi um dos erros mais grosseiros que já vi num jogo de futebol. Pedro Henriques, que até fez uma arbitragem de boa qualidade, borrou a pintura toda num lance em que não tem qualquer ponta por onde se lhe pegue para chegar à invalidação do golo. Pior do que o erro já de si muito grosseiro e não aceitável (porque o árbitro viu bem o que se passou e admitiu que viu) foi a forma inconcebível, deplorável, como veio defender a decisão tomada afirmando que o lance alterou a trajectória da bola.
Ora pois, claro que alterou, mas em primeiro lugar foi o defesa do Nacional que chutou com força a bola contra a mão de Miguel Vítor (que estava de costas e deitado, sem qualquer hipótese de visão/reacção sobre o lance), por outro lado se a teoria de Pedro Henriques tivesse, que não tem, algum sentido racional deixaria de existir o "casual" no futebol e teriam de ser assinalados todos os lances em que a bola fosse à mão do jogador, não havendo distrinça entre bola na mão e mão na bola, porque como é óbvio, sempre que a bola e a mão de um jogador se encontram existe alteração da trajectória, por mínima que seja...

Julgo que Pedro Henriques deveria ser claramente punido quer pelo erro que cometeu, quer pela postura ridícula que consegue aparentar depois da partida. Como sabem, se escrevi uma ou duas vezes sobre arbitragens foi muito, mas desta vez tinha mesmo de ser. A arbitragem está podre, já estev ainda mais, muito mais, por razões que todos conhecemos, mas continua a evidenciar-se essa desconfiança semana a semana. Além disso, a falta de qualidade dos árbitros é gritante. Errar é humano, mas um erro como o de Pedro Henriques, em que ele consegue ver com toda a clareza o lance e decide daquela forma, desculpem-me dizer, mas não é minimamente aceitável.

Falando dos outros dois jogos dos grandes, o Sporting foi também altamente prejudicado em casa com a Académica com um golo limpo, após marcação rápida de um livre interrompida pelo árbitro, e um outro lance em que Postiga faz golo, após dominar no peito (embora mexa os braços não os utiliza para aconchegar a bola). Desta vez, Paulo Bento, ao contrário de outras, tem mesmo grandes razões de queixa.

O Porto em casa com o Marítimo viu ser-lhe perdoada uma grande penalidade nítida, cometida por Rolando, mas também viu na segunda parte o mesmo Rolando a ser agredido por um jogador do Marítimo e a passar impune.

Já agora, convém dar uma nota sobre a qual ninguém escreve. Os acontecimentos no túnel da Luz e do Dragão. Ora, se no caso da Luz, não houve dúvidas, e a meu ver muito bem, em castigar o capitão Nuno Gomes por ofensas verbais à equipa de arbitragem, sabe-se por portas e travessas que alegadamente sucederam no túnel do Dragão acontecimentos presumivelmente bem mais graves que não constam no relatório do árbitro nem do delegado da Liga e sobre os quais mais ninguém falou durante esta semana...dá que pensar. As câmaras desligaram-se de repente? Continuam a acontecer coisas muito estranhas neste triste e cada vez mais despido de público- percebe-se porquê-futebol português.

Etiquetas: , , ,

publicado por Bruno Leite
Comentários a "Pedro Henriques errou grosseiramente e defende o indefensável"
Anonymous Anónimo
LOOOOOOOL

Até me da pena este post, mas prontos para todos benfiquistas acreditem é este ano que voltam a ser campeoes, e senao for este ano e para o outro :)
27 de dezembro de 2008 às 13:55  
Caro leitor,

Como já me chamaram portista, sportinguista e benfiquista ferrenho, aqui nos comentários deste mesmo blog, a minha idoneidade está imediatamente salvaguardada. Para bom entendedor meia palavra basta.

Cumprimentos,

Bruno Leite
27 de dezembro de 2008 às 22:13  
Anonymous Rui Vasconcelos
Lol es benfiquista por os argumentos usados e nao defenderes os argumentos de pedro henriques...eu sou sportinguista e admito que era um lance para penalty mal o jogador do nacional tocou com a bola na mao...nao assinalou,paciencia tambem ja assinalou quando nao era e o "menino bonito" simao dizia:"é penalty?se o arbito assinalou e porque é"na famosa epoca do ultimo campeonato lampiao com aqueles penaltys ridiculos do karadas,dos milagres aos 97min contra a leiria e as ajudinhas com o belenenses em 3 jornadas consecutivas

Agora o tema da questao e o outro,o do golo invalidado

1ºNao houve golo invalidado,com ou sem razao o apito foi dado antes do cardozo armar sequer o remate.Teve sorte em nao levar amarelo
2ºmao voluntaria ou INVOLUNTARIA e falta quando altera a trajectoria da bola...lembra-se com certeza da maozinha de abel xavier nas meias do euro2000?a bola foi parar-lhe a mao...desviou-a da baliza nao desviou?entao e falta...miguel vitor evitou INVOLUNTARIAMENTE e COM A MAO um alivio do jogador do nacional,pois a bola ia para o 3ºanel num "alivio para a atmosfera".Miguel vitor usou uma parte nao permitida para criar uma situaçao de vantagem para o benfica
3ºFosse um jogador do nacional na posiçao de miguel vitor e pedro henriques nao tivesse marcado penalty tb ja teria errado...incoerencias
4ºNinguem esta a chorar assim por os golos LIMPOS anulados ao sporting esta epoca frente a:
Leiria(taça da liga)
Rio Ave(7ªjornada)
Guimarães(10ªjornada)
Académica(12ªjornada)um igual ao sofrido nas champions e outro por alegada mao no tronco de postiga...


E ainda choram..."BIBÓ GLORIOSO"
1 de janeiro de 2009 às 20:08  
Caro Rui Vasconcelos,

Respeito obviamente a sua opinião, no entanto serei forçado a discordar de diversos pontos. Além do mais escrevo com clareza sobre todos os clubes, pelo que ninuém me poderá acusar ao longo de 3 anos de blog de não ser imparcial.

1.º A lei é explícita na questão da abordagem casual ou intencional de um lance. Aconselho-o a consultar o que diz a lei pois revela que para ser assinalada infracção terá de haver contacto EXPLICITAMENTE INTENCIONAL, ou seja traduzindo para míudos, contacto que não deixe margem para dúvidas quanto à intencionalidade. É fácil de ver que isso não aconteceu, pois o jogador encontrava-se de costas e deitado. Como pode constatar, a minha crítica principal assenta no facto do árbitro não só ter errado- apesar do erro ser grosseiro errar é humano-mas sim de não admitir o erro, após o visionamento das imagens televisivas. Como é facilmente constatável pelo relatório do delegado da liga, visto a arbitagem do juíz ter sido cotada com nota 2,3 (num máximo de 5)e Pedro Henriques não apitar qualquer jogo neste fim de semana...ele errou e foi penalizado por isso. E todos sabemos quão protege a sua classe, Vítor Pereira...

Aproveito para abordar os pontos que refere:

1- Tem razão, na prática não existe golo invalidado, visto o apito ter soado antes da bola entrar. Cardozo nunca poderia ver amarelo devido à rapidez do lance, como é óbvio.

2- Por muito que nos tenha custado a "engolir" Abel Xavier movimentou o seu braço em queda de forma a que a mão evitasse que a bola entrasse na baliza de Portugal junto ao poste. Nunca tive dúvidas sobre esse lance, embora nos tenha custado um sonho imenso.

3- No texto não encontra qualquer referência a que teria de ser marcado penalty no caso de estar um jogador do Nacional no lugar de Miguel Vítor, pelo que é um raciocínio meramente especulativo.

4- Relativamente aos lances em que o Sporting foi prejudicado, o primeiro a chorá-los como você refere é o treinador Paulo Bento, isso é público e já está demasiado batido. Dou-lhe razão nos lances, mas não me diga que esses lances não têm sido reclamados porque não é verdade, a começar pelos responsáveis do Sporting.

Apesar desses erros, recordo, no caso da Liga, que nos jogos com o Rio Ave e Guimarães foram lances que acabaram por não influenciar a justiçã do resultado, ao contrário do verificado contra a Académica, tal como referido no texto acima escrito.

Cumprimentos,

Bruno Leite
4 de janeiro de 2009 às 14:08  
Ultimas entradas
Posts Históricos
Visitantes
Pesquisar
PF10 TV

Publicidade


Click Here

Arquivos
Grupo Galáxia